Videos : ​Um aluno é intimidado durante meses. Um dia, o professor decide fazer algo completamente​ louco.

​Um aluno é intimidado durante meses. Um dia, o professor decide fazer algo completamente​ louco.

Todos os detalhes no interior ...

Publicado por Vamos lá Portugal em Videos
Partilhar no Facebook
629 629 Partilhas

Um aluno é intimidado durante meses. Um dia, o professor decide fazer algo completamente louco.

Recentemente veio a público uma história sobre um menino que oito anos que sofreu de um terrível caso de bullying escolar por levar uma mochila vermelha como a figura de um pónei. Os casos de crianças que são vítimas de perseguição escolar ou bullying são muito comuns, e dá a impressão que as escolas ignoram este problema, ou, na verdade, não sabem como geri-lo. Ainda assim, existem alguns casos muito positivos. A maravilhosa história de um professor que encontrou uma maneira de ensinar aos seus alunos algo importante sobre as relações interpessoais tem circulado na Internet nos últimos dias.  

"Esta manhã, decidi fazer uma paragem na loja para comprar duas maçãs. Durante a nossa primeira aula (na qual nós nos sentamos em círculo para fazer "educação em espiral"), eu disse aos meus alunos que íamos fazer algo novo. Eu mostrei as minhas duas maçãs e pedi-lhes que fizessem uma lista com as suas diferenças e semelhanças. As maçãs eram exatamente da mesma cor e da mesma forma... uma era um pouco maior e mais brilhante, mas essa era, na verdade, a única diferença.  

Depois coloquei ao alto a outra maçã, que estava um pouco descolorida e era mais pequena e exclamei: "Que horror! Esta maçã está nojenta! E atirei-a ao chão. Os miúdos olharam para mim como se estivesse MALUCO! Alguns deram umas risadas desconfortáveis, mas a maioria pensou que eu tinha ficado louco.

Então peguei na maçã que estava no chão e ofereci ao estudante que estava ao meu lado. Esta maçã não é estúpida? Deveriam insultá-la e fazer-lhe isto!  Novamente, deixei-a cair à minha frente. "Agora dá-la à pessoa que está ao teu lado para que lhe possa dizer coisas horríveis também!"

Em poucas palavras, as crianças assumiram o seu papel de maus: insultaram e molestaram a maçã atirando-a à sua frente. "Odeio a tua casca". "Tens uma cor vermelha horrível". "O teu talo é demasiado largo". “De certeza que estás cheia de vermes" diziam. E assim, uma e outra vez. 

Até que a pequena maçã voltasse para as minhas mãos, todos tiveram a oportunidade de lhe fazer mal. Realmente, comecei a sentir compaixão por este objeto inanimado... mas segui em frente... Então, segurei as duas maçãs ao alto e pedi aos alunos que fizessem a lista das diferenças e semelhanças novamente... Voltaram a descobrir o mesmo... Não havia muita diferença. Mesmo depois de ter atirado a maçã varias vezes, não se podia dizer que estava danificada. 

Então, peguei numa tábua de cortar e uma faca e comecei a partir a maçã brilhante. Era perfeita. Todos os meninos exclamaram: "Ooooh, aaaaah..."

Depois parti a segunda metade e quando a abri, estava cheia de manchas castanhas e completamente machucada por dentro devido aos golpes que recebeu quando a atiramos ao chão. Quando a mostrei ao alto, os meninos duvidaram: "Eh. Não quero comer ESSA maçã! Ugh! Parece nojenta..."

Naquele momento, eu olhei-os fixamente e disse-lhes: mas, por acaso, não contribuímos todos para que esta maça tivesse este aspeto? Fomos nós que lhe fizemos isto, porque não haveríamos de comê-la? Todos pararam de repente e permaneceram em silêncio. Vejam, meninos, isto é o que fazemos a outras pessoas quando as insultamos e as ferimos com as nossas palavras. Quando falamos de outros e os chamamos de feios ou gordos, ou que não têm nível suficiente para serem nossos amigos... estamos a atirá-los ao chão causando mais uma marca... uma ferida que não se vê por fora, mas é MUITO REAL e pode destruí-los por dentro!  Não desaparece facilmente; as feridas só ficam mais grandes e mais profundas. ISTO - disse enquanto segurava ao alto a maçã magoada, é que fazemos uns aos outros. Temos de deixar de nos magoar uns aos outros".  

Nunca antes tinha visto os meus alunos a compreender uma coisa tão rápido. Para eles foi algo muito real... eles choravam e riam, foi muito emotivo e realmente surpreendente. Falaram sobre o que se tinha passado, a um menino ouvi dizer "bem, estive a soluçar durante todo o caminho até ao refeitório". Muitos alunos vieram abraçar-me mais tarde e disseram-me que estavam muito felizes por um professor "os entender". 

A perseguição escolar ou bullying é um fenómeno muito comum. Um problema que muitas vezes passa despercebido para pais e professores. Talvez a lição deste professor seja o início de conversas mais profundos nas escolas. De qualquer forma, é uma mensagem muito importante que deve ser partilhada.

Partilhar no Facebook
629 629 Partilhas

Fonte: Trop Cute · Crédito foto: Trop Cute

Goste/partilhe