Notícias : ​Um menino de 3 anos de idade faz chichi na cama, em seguida, o padrasto mata-o.​

​Um menino de 3 anos de idade faz chichi na cama, em seguida, o padrasto mata-o.​

O silêncio matou esta criança ...

Partilhar no Facebook
308 308 Partilhas

Um menino de 3 anos de idade faz chichi na cama, em seguida, o padrasto mata-o.

Para comemorar o pequeno Tony, de três anos, que morreu neste fim de semana pelas mãos do seu padrasto, uma marcha foi realizada em Reims na quarta-feira.

No entanto, o procurador da República de Reims lamentou dizendo: "se a polícia tivesse sido alertada pelo bairro, esta criança poderia passar o Natal de 2016." Muitos são os vizinhos que tinham conhecimentos do tratamento infligido a Tony.

A autópsia da criança revelou inúmeras contusões, hematomas e um nariz partido. Infelizmente, ninguém denunciou o comportamento do padrasto de Tony. Tudo começou em Setembro, quando Loïc se mudou com a mãe de Tony, e sempre de manhã antes da escola, o homem enervava-se contra o pequeno ameaçando-o bater-lhe. Os vizinhos ouviam.

"A violência começava às 7:00. Se ele tivesse urinado na cama, ele colocava-lhe a cabeça na urina e depois batia-lhe. Ele sofreu tudo e mais alguma coisa, por trás daquela porta ", diz Ousmale, que vive no apartamento debaixo do apartamento onde Tony viveu, ele ouviu os gritos de Tony durante semanas. Ele denunciou Loïcao senhoria por causa do barulho, mas nunca à polícia.

Foi o medo do homem e a retaliação que o impediu de o denunciar à polícia. Como ele, outros vizinhos. "Todas as manhãs, ele batia no pequeno porque ele tinha molhado a cama, ele ponha-lhe a cara na urina. Ele chorava e era ouvido por todo o edifício. Eu quase ir lá mais de uma vez, mas a minha mulher sempre me impedia. E agora é tarde demais ... Eu estou em choque ... Somos todos responsáveis. Eu não fiz muito, devia ter feito muito mais ", diz Jonathan, um outro vizinho.

Matthew bourrette, o procurador de Reims, também tem a sua parcela de arrependimentos. "Todas as vezes que a polícia lá foi era apenas por razões de barulho. Em nenhum momento alguém informou que havia uma criança que era espancada. É, em última instância contra esse silêncio coletivo que todos nós devemos lutar. "

Silêncio que também participou a mãe que está atualmente sob investigação por negligência e pelo fato de não ter denunciado os maus tratos ...

Partilhar no Facebook
308 308 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye

Goste/partilhe