Notícias : ​Quando os médicos viram como esta mãe segura no seu bebé, eles proibiram-na de o levar para casa. Eles estão convencidos que isso o mataria.

​Quando os médicos viram como esta mãe segura no seu bebé, eles proibiram-na de o levar para casa. Eles estão convencidos que isso o mataria.

Pessoas de todo o mundo têm sido tocadas pela triste história deste casal

Partilhar no Facebook
434 434 Partilhas

Quando os médicos viram como esta mãe segura no seu bebé, eles proibiram-na de o levar para casa. Eles estão convencidos que isso o mataria.

Uma mulher chamada Anna Bachur vive em Ivatsevichy, na Bielorrússia. Toda a sua vida, ela tem batalhado para superar vários desafios que são banais para muitas das pessoas. A terrível história desta jovem mulher começou no seu nascimento, quando os seus pais decidiram dá-la para adoção devido à sua condição. Os braços e as pernas de Anna não se desenvolveram corretamente, o que causou malformações graves. 

Nenhuma família quis adotar Anna e ela passou a sua infância num orfanato. Todos os dias, ela esperava que os seus pais viessem à sua procura. Na sua adolescência, ela desejava encontrar os seus pais, mas a seguir ela percebeu que os seus pais biológicos nunca a viriam procurar. Foi então que ela decidiu que, a partir daquele momento, seria ela a construir a sua própria sorte. Anna trabalhou muito arduamente para se tornar independente dos outros e aprendeu a viver sozinha. Ela aprendeu a utilizar o computador, e começou a pintar para ocupar os seus tempos livres. Alguns anos mais tarde, ela encontrou Anatoly, o homem dos seus sonhos. 

Tal como Anna, Anatoly também teve que superar muitas dificuldades na sua vida porque sofre de sequelas de pólio. A determinação do casal é incrível e o amor deles é imenso. Eles acabaram por se casar alguns anos mais tarde, em 2008. Um dia, Anna escreveu uma mensagem ao seu cônjuge para lhe fazer uma surpresa e anunciar que estava grávida. Mas os médicos sugeriram que abortasse devido à sua deficiência. Mas o casal recusou fazer tal coisa. 

Em julho de 2015, Anna deu à luz um pequeno menino completamente saudável, Kostia! O casal vivia uma altura de muita felicidade, mas a sua situação acabou por se complicar quando estes quiseram levar o seu bebé com eles para casa, e os médicos recusaram. 

A jovem mulher estava habituada a ser forte em situações difíceis, mas desta vez, ela colapsou totalmente quando os médicos a tentaram convencer que ela devia dar o seu filho para adoção devido à sua deficiência. Eles temem pelo bebé, mas também pela saúde de Anna e Anatoly, que poderiam ser muito afetados pela presença de um recém-nascido. Segundo os médicos, seria preferível que Kostia pudesse viver com uma família “normal”. 

Os médicos escreveram-lhes as situações em que os pais poderiam meter em risco a vida do bebé e mencionaram em específico que ela poderia cair e magoá-lo muito, acidentalmente. Mencionaram também que ela não o poderia alimentar convenientemente. Mas Anna diz que já cuidou de muitas crianças enquanto vivia no orfanato e que poderá, de igual modo, tomar conta do seu filho. 

O casal está determinado a lutar para poder criar o seu filho da melhor maneira possível. Eles decidiram contactar os média e os políticos locais para receberem ajuda. Alguns dias mais tarde, uma agência de notícias publicou o seguinte vídeo:  

Eles farão tudo para provar que serão bons pais e aceitam mesmo submeter-se a testes psicológicos e físicos de aptidão. Muitas pessoas acreditam que eles não são capazes de cuidar de um filho, mas também há muitos que os apoiam. As autoridades decidiram, finalmente, atribuir a guarda a de Kostia a Anna e Anatoly. 

Depois de uma longa batalha de 18 meses, a família recuperou finalmente a felicidade. Kostia é um pequeno menino muito feliz e inteligente. Os trabalhadores sociais visitam a família regularmente para assegurar que tudo está a correr bem. 

Pessoas de todo o mundo ficaram comovidas com esta história. A família foi inclusive convidada para vários programas televisivos. 

Uma história comovente que, felizmente, tem um final feliz!

Partilhar no Facebook
434 434 Partilhas

Fonte: Ayoye · Crédito foto: Ayoye

Goste/partilhe