Notícias : ​O médico envia o bebé para morrer em casa. Mas quando a mãe vê a filha dela fazer isto, pega imediatamente no telefone

​O médico envia o bebé para morrer em casa. Mas quando a mãe vê a filha dela fazer isto, pega imediatamente no telefone

A segunda vista..

Partilhar no Facebook
2,955 3.0k Partilhas

O médico envia o bebé para morrer em casa. Mas quando a mãe vê a filha dela fazer isto, pega imediatamente no telefone

Em agosto deste ano, Abigail Jones nasceu na Flórida, EUA, e os seus pais Erica e Stephen já se preparavam para lhe dizer adeus. Na 18º semana de gravidez, os médicos descobriram que a menina não só tinha Síndrome de Down, mas também um enorme tumor maligno inoperável. Os médicos assumiram que Abigail só viveria umas semanas. Por esta razão, os seus pais levaram-na para casa para passar o máximo tempo possível com ela. Até organizaram uma sessão fotográfica com a sua filha para poder recordá-la para sempre. 

Contudo, ao crescer aconteceu algo diferente: Abigail desenvolveu-se muito bem, cresceu, ria-se muito e reagia ao que a rodeava. Passaram semanas e a pequena não piorava. Quando Stephen Jones e Erica se aperceberam, perguntarama si próprios se a sua pequena e brilhante menina iria realmente morrer. Fizeram chamadas a médicos e hospitais de todo o país para que lhes dessem uma segunda opinião. No prestigiado Hospital Infantil de Boston fizeram um TAC a Abigail. O resultado do TAC mudou a vida desta pequena família num só dia. 

"No Hospital da Flórida mandaram Abigail para casa para que morresse lá. Mas ao observar de perto o TAC de Abigail vi algo diferente: talvez o tumor da menina não seja maligno", disse o neurocirurgião do Hospital Infantil de Boston, Dr. Alan R. Cohen. "Chamei a mãe e disse-lhe que ainda não deveríamos desistir".

Ao desligar o telefone, a mãe de Abigail sentiu-se arrasada. Até esse momento ela não tinha preparado o quarto para a sua filha ou pensado nas vacinas, porque pensou que Abigail não viveria o suficiente. "Aterrorizava-me agarrar-me a essa esperança, assim acabei por deixá-la ir. Agora de repente acredito que a minha filha irá viver. Mesmo que me digam que não há 100% de possibilidades de que isso aconteça. Mas eu agarro-me a esta esperança", diz Erica.  

E, depois de realizar novos testes, eles descobrem que o tumor é benigno! O tumor foi removido numa operação e, de acordo com o médico, não voltaria a aparecer. "O seu prognóstico é ótimo," diz o Dr. Cohen. "Esta é uma história com um começo muito triste e um final muito feliz."  

Na sua página do Facebook, Erica é levada pela alegria do "segundo" nascimento da sua filha. "Não consigo acreditar. Estou tão feliz. Quando olho para a minha linda menina, não consigo acreditar. Meu Deus, eu posso ficar contigo! Desejo que faças as coisas normais da vida. É maravilhoso". 

Erica e Stephen Jones tinham-se preparado para o pior que um pai pode viver: ver o seu filho morrer. Mas valeu a pena manter a esperança e agora não deixarão a sua maravilhosa e querida filha ir tão rápido. Se esta história com um início desesperador, mas com um final feliz o comoveu, partilhe-a com todos os seus conhecidos. 

Partilhar no Facebook
2,955 3.0k Partilhas

Fonte: No lo creo · Crédito foto: No lo creo

Goste/partilhe