Notícias : No dia do seu enterro, o seu corpo revelou a verdade. Durante 5 anos manteve oculto o segredo da sua identidade

No dia do seu enterro, o seu corpo revelou a verdade. Durante 5 anos manteve oculto o segredo da sua identidade

Segredos da história

Partilhar no Facebook
1 1 Partilhas

No dia do seu enterro, o seu corpo revelou a verdade. Durante 5 anos manteve oculto o segredo da sua identidade

O século XIX testemunhou a vida de um dos médicos mais famosos do seu tempo. No entanto, as suas contribuições para a medicina moderna foram ofuscadas quando se descobriu um incrível segredo depois da sua morte.

As suas principais conquistas relacionaram-se com a descoberta do papel da higiene na medicina. Graças a isto, conseguiu que os níveis de sobrevivência dos seus pacientes disparassem para números nunca antes vistos. De fato, assinalou a relação entre os canos sujos com matéria fecal e as doenças e, dessa forma, parou a terrível expansão da cólera e da lepra que castigava o continente africano. Além disso, foi o primeiro médico a realizar uma cesariana com êxito onde ambos, a mãe e o bebé, conseguiram sobreviver.

No entanto, após a sua morte no ano de 1865, a enfermeira que estava a cargo de preparar o seu cadáver teve uma escandalosa surpresa ao levantar os lençóis...  

James Miranda Barry não existe em nenhum registo anterior à sua inscrição na Universidade de Edimburgo. Lá se destacou como estudante e foi um dos poucos que se formou pela prestigiada escola de medicina. Depois, trabalhou como voluntário e teve aulas de dia e de noite para se tornar cirurgião.

Quando acabou os estudos, entrou no corpo de cirurgiões do exército e trabalhou em diferentes países que foram colónias do Império britânico nesse mesmo instante. Jamaica, Índia, Crimeia, África do Sul, entre outros, estão entre os lugares onde foi e onde adquiriu grande popularidade graças ao seu excelente trabalho como médico. Praticamente criou hospitais em lugares onde antes não havia nada, travou a expansão da cólera devido à falta de higiene e realizou várias e bem-sucedidas operações.

Chegou a obter o posto mais alto que pode obter um médico militar: Inspetor-geral de Hospitais, além de ser amigo próximo do governador Charles Somerset. Mas nada disso importou quando se descobriu a verdade sobre a sua vida, uma vez que quando a enfermeira que preparava o funeral levantou o lençol que o cobria, descobriu o impensado: James Barry, o famoso médico da armada britânica tinha sido uma mulher! 

Tal como leu. O lado B desta história é alucinante e começa assim: o nome real de James Barry era Margaret Ann Bulkley, uma mulher nascida em 1789 em County Cork, Irlanda. O seu tio, James Barry (sim, daí provém o seu nome) e amigo muito próximo dele, o político, ideólogo e general revolucionário venezuelano Francisco Miranda acreditaram nas capacidades de Margaret para ser médica. Contudo, como a mulheres estavam proibidas de estudar medicina inventaram um plano descabido: iriam fazê-la passar por homem.

O seu tio deu-lhe o nome e Francisco Miranda prometeu-lhe que quando terminasse os estudos a levaria para a Venezuela, onde poderia livremente exercer como mulher. Mas, infelizmente, Miranda foi aprisionado por espanhóis em Cádis e morreu pouco depois. Desde então, Margaret teve que esconder a sua verdadeira identidade para sempre. 

Margaret tomou a decisão de se juntar ao exército e ir para outros países para não ser descoberta no seu país. Lá conseguiu ocultar que era mulher, embora costumasse meter-se em sarilhos por causa do seu carácter. Até teve um duelo de pistolas contra alguém que ousou questionar a sua masculinidade. De fato, os rumores de que mantinha um relacionamento homossexual com o governador Charles Somerset arruinaram a vida política deste último.

O escândalo causado pela descoberta da verdadeira sexualidade do famoso cirurgião ofuscou os êxitos que esta incrível mulher conseguiu obter na área da medicina. Tudo graças à sua incrível capacidade de compreender a importância da higiene e da esterilização para a medicina. 

Em 1864, regressou a Inglaterra pela sua má saúde e morreu passado pouco tempo. Hoje resgatamos o seu legado: Margaret Ann Bulkley (ou James Barry) foi a primeira mulher médico na Grã-Bretanha. Graças à sua coragem, alcançou importantes avanços para a medicina moderna. A sua determinação, habilidade, força e inteligência não devem ser esquecidos.

Ah! E a enfermeira não só descobriu que era mulher, como também, a julgar pelas marcas no seu estômago, também tinha sido mãe. De quem? Pois, não sabemos. O mistério ficará para sempre oculto no curso da história, juntamente com tantos outros.

Veja este vídeo (em inglês) para saber mais detalhes sobre a sua emocionante história:  

Partilhar no Facebook
1 1 Partilhas

Fonte: No lo creo · Crédito foto: No lo creo

Goste/partilhe