Notícias : ​Este chimpanzé nunca irá esquecer o que a mulher fez por ele. 18 anos mais tarde voltam a reunir-se

​Este chimpanzé nunca irá esquecer o que a mulher fez por ele. 18 anos mais tarde voltam a reunir-se

18 anos depois ...

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
1,680 1.7k Partilhas

Este chimpanzé nunca irá esquecer o que a mulher fez por ele. 18 anos mais tarde voltam a reunir-se 

A ativista ambiental Linda Koebner sempre lutou para proteger os direitos dos animais. Com apenas 23 anos de idade, esta americana que era na altura estudante universitária, liderou um projeto para libertar 6 chimpanzés que tinham passado a vida num laboratório experimental.  

Naquela altura, era prática comum matar os animais quando deixavam de ser submetidos a testes. Koebner lutou para lhes dar uma oportunidade de viver num enorme complexo ao ar livre, devolvendo-lhes assim um pouco da dignidade que tinham perdido.  

Infelizmente, voltar para a selva não era uma opção, uma vez que tinham nascido em cativeiro e passado os seus primeiros anos de vida em jaulas. Uma das chimpanzés fêmea também necessitava de medicação de forma regular. Mas Linda foi testemunha de como os chimpanzés aspiraram o cheiro a erva fresca pela primeira vez e como se moviam com liberdade.  

Linda alimentou um dos animais doentes diariamente com um biberão e passou muito tempo com os seus amigos peludos para ajudá-los a adaptar-se à vida fora da jaula.

Mas então chegou a hora de separar-se dos animais, que tinham de aprender a viver da forma mais independente possível. Embora tenha sido difícil, Linda despediu-se dos chimpanzés e voltou para os seus estudos. Ao mesmo tempo, o projeto que tinha começado acabou por se revelar um grande sucesso: os animais multiplicaram-se e tornaram-se numa grande família. Cada um dependia dos outros para superar a vida no laboratório.  

Cerca de 18 anos mais tarde, Linda foi visitar os seus amigos peludos. Dois dos seis que tinha resgatado ainda viviam. Mas Linda preparou-se para a reunião, consciente de que os seus carinhosos amigos de então tinham agora garras e dentes perigosos. Linda tinha dúvidas de que os dois chimpanzés fêmeas, Doll e Swing, se fossem lembrar dela, apesar de ela ter sempre tido presente as queridas chimpanzés. 

Ao aproximar-se do rio que separava o lugar onde as suas velhas amigas se encontravam, Linda emitiu o som que os chimpanzés usam como saudação. 

Linda reconheceu imediatamente a Doll e Swing e elas também viram a mulher do outro lado do rio. Quando Linda entrou num barco para se aproximar delas, elas começaram a correr. 

"Lembras-te de mim?" Linda perguntou ao chimpanzé enquanto se aproximava. Então, algo surpreendente aconteceu: a chimpanzé lançou-lhe os braços e deu-lhe um forte abraço.  

Não havia dúvida que Doll e Swing sabiam que abraçavam a mulher que lhes tinha salvado a vida há alguns anos atrás. Nunca agiriam desta forma com estranhos. 

Linda ficou sem palavras. Quase duas décadas depois e nada havia mudado entre elas. 

Apesar de Doll e Swing não poderem falar, era óbvio que sentiam um enorme apreço por Linda. 

Linda sempre fará parte da sua família, apesar do tempo que passaram separadas. Linda não conseguiu conter as lágrimas ao voltar a reunir-se com as suas velhas amigas, pelas quais se alegrava dever tão bem. Neste vídeo, pode ver o seu emotivo reencontro (vídeo em inglês):  

 Linda sempre soube que estava a fazer algo de bom por estes animais. É um belo símbolo de esperança que estes chimpanzés, depois de terem passado calamidades nas mãos dos seres humanos, ainda possam confiar em Linda.

Partilhar no Facebook
1,680 1.7k Partilhas

Fonte: No lo creo · Crédito foto: No lo creo

Goste/partilhe