Notícias : ​Estava a navegar pelo álbum de fotos de uma desconhecida quando de repente ficou sem fôlego. Encontrou a mesma fotografia que a sua esposa sempre trazia consigo

​Estava a navegar pelo álbum de fotos de uma desconhecida quando de repente ficou sem fôlego. Encontrou a mesma fotografia que a sua esposa sempre trazia consigo

42 anos separados

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
39 39 Partilhas

Estava a navegar pelo álbum de fotos de uma desconhecida quando de repente ficou sem fôlego. Encontrou a mesma fotografia que a sua esposa sempre trazia consigo

Starla Medlock e Jeannie Toomey tinham procurado a sua mãe toda a sua vida.

Quando o seu pai, John Thompson, conheceu a sua mãe, Lani, estava a fazer o seu serviço militar no Vietname, numa base da Força Aérea dos EUA. Eles casaram pouco tempo depois e mudaram-se para Columbus, Ohio. Em 1973, tiveram uma filha, Starla; depois mudaram-se para Inglaterra por motivos de trabalho, onde depois nasceu a sua segunda filha, Jeannie. 

Mas a relação dos seus pais não durou muito e eles acabaram por se divorciar quando as meninas tinham um ou dois anos de idade. O pai delas tratou de obter a custódia total das meninas e regressaram aos EUA.

"Nós fazíamos muitas perguntas ao nosso pai sobre a nossa mãe. Ele nunca nos falou mal dela, só nos disse que não sabia falar inglês porque era 100% tailandesa", recorda Starla as palavras do seu pai falecido. "Segundo o nosso pai, a nossa mãe pensava que nós éramos americanas e ele que trabalhava no exército poderia dar-nos uma vida melhor do que ela". 

Jeannie e Starla passaram muitas décadas crescendo e construindo as suas vidas sem deixar de sentir a falta da sua mãe nem de se perguntarem sobre o que se tinha passado com ela. Imploraram ao seu pai que as ajudasse a procurá-la, mas agora acreditam que na realidade não o fez. "Estava a tentar proteger-nos ou talvez tivesse medo de perder as suas pequenas filhas. Diz-se sempre que existem três versões da mesma história: a versão do pai, a versão da mãe e a verdadeira".

Os seus esforços nunca deram resultados. Depois de anos de revisões inúteis de bases de dados e diretórios telefónicos, as irmãs acabaram por se dar por vencidas. Simplesmente, tinham muito pouca informação para dar com o paradeiro da sua mãe, e o stress emocional acabou por esgotá-las. Ambas, atingiram os 40 anos sem saber nada da sua mãe.

Algum tempo depois, no final de 2016, Jeannie recebeu uma mensagem de um desconhecido pelo Facebook. A primeira coisa que viu quase lhe arrancou um grito: uma foto dela e da sua irmã quando eram bebés. Porque este desconhecido a tinha e o que queria? 

Mark, o segundo marido de Lani, era esse desconhecido. Agora vivem em Pueblo, Colorado. Por sua vez, Lani nunca deixou de pensar nas filhas que tinha perdido há algum tempo. Tudo o que tinha era uma foto das suas filhas quando eram pequenas. Trouxe-a consigo durante 40 anos. Mark contou que às vezes adormecia a chorar e a pensar nelas.

Então um dia, Mark sentou-se à frente do computador com a pouca informação que tinha e começou a pesquisar, embora não tivesse muito mais informação que Jeannie e Starla. A Internet é uma invenção maravilhosa: depois de algumas horas, o marido conseguiu localizar o obituário de John Thompson. Depois encontrou Jeannie no Facebook e viu a foto que a sua mulher tinha trazido na carteira durante tanto tempo. Correu para avisar Lani, e quando lhe mostrou, a mãe ficou bastante impressionada e começou a soluçar.

Em poucos dias, compraram os seus voos até Kansas City para conhecer as filhas de Lani, que ela não tinha visto em 42 anos. Não ficou qualquer dúvida quando se olharam nos olhos no aeroporto. Ela correu até elas para abraçá-las transbordando de alegria. 

Nesse instante, sentiram-se como uma só família novamente e começaram a fazer planos. "Vou cozinhar algo para vós. Esperei tanto tempo para preparar-vos uma boa refeição", disse Lani com um sorriso radiante. 

Veja toda esta história incrível neste vídeo (em inglês):  

"Os milagres existem, realmente acontecem. Nunca perca a esperança. Pode ser que não aconteçam imediatamente, mas sim existem e nós somos a prova", disse Jeannie. E ela sabe do que está a falar.

Partilhar no Facebook
39 39 Partilhas

Fonte: No lo creo
Crédito foto: No lo creo

Goste/partilhe