Notícias : Esta mulher de 28 anos estava com tosse. 1 dia depois, os médicos dizem que ela morrerá em breve.

Esta mulher de 28 anos estava com tosse. 1 dia depois, os médicos dizem que ela morrerá em breve.

Era para já ter morrido.

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Esta mulher de 28 anos estava com tosse. 1 dia depois, os médicos dizem que ela morrerá em breve.

Emily Bennet Taylor é uma mulher norte americana de 28 anos. A jovem reside na cidade de Los Angeles e adora praticar deporto. Emily é noiva de Miles e os dois estão juntos desde a universidade. Um dia Emily começou a tossir frequentemente, mas ela deu pouca atenção ao facto, pensando tratar-se de uma alergia. Porém, rapidamente teve a surpresa mais desagradável da sua vida.

Emily não se preocupou porque ela e o noivo são jovens, levam uma vida saudável e praticam desporto, nunca imaginavam que algo tão terrível pode acontecer. Mas a tosse persistia e era estranha. Emily decide então fazer uma busca na Internet. Assustada com o que vê, ela liga ao noivo: "Eu acho que tenho cancro no pulmão," diz a jovem mulher. "Como assim?" responde Miles surpreendido. "Eu pesquisei na Internet." Quando Miles ouve isso, ri às gargalhadas: "Pare de ver essas coisas na Internet. É lógico que não tens cancro do pulmão."

Porém, como a tosse não parava, Emily decide procurar um médico, pensando que ele detectaria apenas uma alergia. No hospital, os profissionais fazem vários exames e também um raio-x do seu tórax. O resultado: Emily tinha um tumor já muito avançado no pulmão.

Em geral, quando descobrem um cancro neste estágio final, os médicos evitam fazer cirurgias, pois consideram a causa perdida. O que eles oferecem ao paciente são os cuidados paliativos, medidas que proporcionam conforto aos doentes nos meses que antecedem a morte deles.

Mas Emily é jovem e determinada e recusa-se a desistir. Mesmo sabendo que as probabilidades de cura através de quimioterapia são de apenas 20%, ela decide pelo menos tentar. Ela também não desiste do seu desejo de ter filhos e resolve congelar 9 dos seus óvulos, caso o tratamento destrua a sua fertilidade.

Emily e Miles partem numa jornada em busca de médicos e tratamentos mais eficazes. Finalmente, eles encontram alguém que aceita tratá-la e Emily inicia a quimioterapia. E o inesperado acontece: o tratamento começa a dar resultados!

O tumor diminui tanto que uma cirurgia volta a ser possível. Na cidade de Nova York, o casal encontra uma médica especialista em tumores no tórax, a Dra. Flores. Ela aceita realizar a operação. Porém, as consequências são drásticas: Emily terá que perder todo o pulmão direito e também parte do diafragma.

Emily sente-se muito nervosa nos dias que antecedem a cirurgia. "E se eu nunca puder levar uma vida normal outra vez? E se eu nunca puder ter filhos?". Ser mãe é um dos seus maiores desejos. Mas Miles tranquiliza-a: "Vamos fazer todas as coisas que precisam de 2 pulmões. Daqui a um ano, vamos tentar tudo isso outra vez e ver como te sentes." Finalmente, o dia da cirugia chega. Quando acorda da anestesia, a primeira coisa que Emily pergunta é: "Eu estou livre do câncer?".

Miles então olha para a cirurgiã e pergunta: "Ela está livre do cancro?". A resposta inacreditável: "Sim".

Mas a vida com apenas um pulmão não é fácil. Respirar pede muito mais esforço e Emily ainda teria que passar por 28 sessões de radiação. Porém, ela conta com o apoio de Miles que continua a dar-lhe força, sem sair do seu lado. Após 6 meses, o casal finalmente recebe a resposta que nenhum médico teria sonhado possível: Emily venceu a batalha contra o tumor e eles podem finalmente começar uma vida juntos.

Porém, quando eles decidem ter um filho, o casal é confrontado com uma péssima notícia: Emily não poderá engravidar porque as flutuações hormonais da gravidez poderiam afectar o resultado do seu tratamento contra o cancro. Sem desistir, os dois resolvem procurar uma barriga de aluguer. E é neste momento que algo maravilhoso acontece. Uma grande amiga de escola de Emily oferece-se para carregar o bebê no seu próprio útero. "Quando eu soube que Emily estava à procura de uma barriga de aluguer, eu pensei: esta é minha hipótese de a ajudar!" diz Angela Stark. Nos meses anteriores, Angela tinha apenas podido observar a desgraça que se abateu sobre a sua querida amiga, sem nada poder fazer.

Três meses depois, o embrião é implantado no útero da mãe de aluguer e o resultado não poderia ser melhor: Angela engravida de gémeos!

Emily não cabe em si de tanta felicidade: "Eu mal posso acreditar que estou finalmente a realizar este sonho - algo que me motivou durante todo o meu tratamento", ela conta em lágrimas. "Isto significa que a vida continua. O cancro sempre será parte das nossas vidas, porque eu quero ajudar outras vítimas de cancro no pulmão. Mas esta gravidez prova que já superamos muitos passos e que chegamos num lugar ótimo, um lugar que parecia tão distante há pouco tempo atrás..."

A história de Emily mostra-nos que nunca devemos desistir. Ela lutou e conseguiu até mesmo ter filhos, apesar de todas as adversidades. Se tu também ficaste impressionado com a bravura e a força desta jovem mulher, então partilha este artigo com todos os que conheces. A esperança é sempre a última a morrer!

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: Naoacredito

Goste/partilhe