Notícias : Esta mãe pôde segurar a bebé dela apenas uma vez. Ninguém tinha previsto este desfecho.

Esta mãe pôde segurar a bebé dela apenas uma vez. Ninguém tinha previsto este desfecho.

Um pequeno milagre.

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
413 413 Partilhas

Esta mãe pôde segurar a bebé dela apenas uma vez. Ninguém tinha previsto este desfecho.

Carolyn Isbister, da Inglaterra, estava grávida e aguardava ansiosamente o nascimento da filha. Infelizmente, a bebé nasceu prematura e a esperança de ter uma criança feliz e saudável, parecia perdida. Mas o que aconteceu nos momentos após o parto é incompreensível.

Devido a uma infecção no útero, Rachael nasceu com 24 semanas e pesava apenas 500 gramas. Os médicos esperavam que a menina vivesse apenas alguns minutos. Realmente parecia que a criança não sobreviveria. Ela não estava a respirar e o coração dela batia apenas uma vez a cada 10 segundos. Mas Carolyn pediu para segurar sua bebé nos seus braços, pelo menos uma vez.

"Eu não queria que ela morresse de frio. Então tirei-a do seu cobertor e a pressionei contra a minha pele para que ela ficasse aquecida", recorda a mulher. Carolyn estava convencida de que esta era a única chance que ela tinha de carregar a filha nos seus braços e ela aproveitou o momento da melhor maneira possível. Porém, ela mal pode acreditar no que aconteceu em seguida.

A menina, aquecida pelo calor do corpo da mãe, ficou mais forte e começou a respirar. Carolyn descreve como tudo aconteceu: "Nós não podiamos acreditar, e nem mesmo os médicos. Ela deu uma choradinha. Os médicos vieram e disseram que não havia esperança. Mas eu não queria desistir dela. O capelão do hospital abençoou-a e aguardamos o momento dela nos deixar. Mas ela ainda estava a lutar pela vida. As bochechas ficaram rosadas e a respiração tornou-se mais forte".

A pequena foi levada para a UTI, onde lhe foi dada toda a assistência necessária. Ela agarrou-se à vida e continuou a crescer. Após cinco semanas, ela foi finalmente retirada do respirador artificial. Quatro meses mais tarde, quando pesava pouco menos de 4 kg, a família pode, finalmente, levar a pequena Rachel para casa. A mãe ainda estava impressionada. "Rachael lutou tão bravamente. É realmente maravilhoso que ela esteja aqui hoje. Os médicos só lhe deram 20 minutos de vida, mas o meu abraço salvou-a. Este é um momento que eu nunca vou esquecer". Hoje, Rachael é saudável, alegre e ainda ama passar horas recebendo abraços.

Mais uma vez, fica claro que o amor de uma mãe tem muito poder. Se Carolyn não tivesse pressionado esta pequena menina contra o seu peito, ela não estaria viva. Esta história maravilhosa ensina-nos que devemos sempre ouvir os nossos instintos.

Partilhar no Facebook
413 413 Partilhas

Fonte: Naoacredito
Crédito foto: naoacredito

Goste/partilhe