Notícias : Ao fazerem-lhe uma radiografia puderam ver o que tinha debaixo da sua pele. A sua dona não pode evitar as lágrimas

Ao fazerem-lhe uma radiografia puderam ver o que tinha debaixo da sua pele. A sua dona não pode evitar as lágrimas

Cinquenta vezes

Partilhar no Facebook
1,136 1.1k Partilhas

Ao fazerem-lhe uma radiografia puderam ver o que tinha debaixo da sua pele. A sua dona não pode evitar as lágrimas

A inglesa Liz Haslam encontrou a sua vocação na vida: é uma verdadeira amante dos animais e dedica-se a proteger os cães. Como todas as ativistas com experiência, Liz conhece muito bem os preconceitos que afetam algumas raças de cães, tornando-se muito difícil encontrar lares carinhosos para certos tipos de cães. Por esta razão, Liz mantém um lugar especial no seu coração para uma raça bastante incompreendida: a bull terrier. 

No início de 2015, Liz recebeu um telefonema de uma associação de proteção animal em Gökova, Turquia. Os voluntários da organização tinham encontrado um pequeno bull terrier de cor branca que tinha sido severamente maltratado. Estava cego e quase totalmente surdo. Tinha a cara coberta de manchas de tinta que tinham origem de numerosos disparos de balas de tinta. Outras feridas na mesma área indicavam que ele tinha participado em lutas de cães ilegais. Se não o tivessem encontrado, este cão teria falecido pouco depois. 

Os voluntários chamaram-no de Eric e quando Liz viu as suas fotos, sabia que tinha de fazer todos os possíveis para transferir o pobre animal para Inglaterra. Ela sabia que Eric não teria a menor oportunidade de sobreviver sem a sua ajuda, especialmente por causa dos preconceitos que pesam sobre os bull terrier. A maioria das pessoas simplesmente considera estes cães como "cães de luta" e negam-se a adotá-los. Mas a tarefa de levar Eric para Inglaterra não foi nada fácil. Só o voo custava mais de 3000 dólares. 

Mas, por fim, Eric chegou são e salvo à sua nova casa em Barnham. A equipa da Animal Rescue Gökova tinha feito um excelente trabalho ao curar as feridas do cãozinho, que tinha agora um melhor aspeto do que nas fotos. No entanto, ainda havia muitos problemas para resolver. As balas de tinta tinham-lhe causado algumas feridas no rosto que ainda tinham de ser tratadas. Liz também descobriu outra ferida que à primeira vista parecia um cisto. Sabia que Eric tinha que receber assistência veterinária o mais cedo possível. 

O que o veterinário descobriu durante o exame médico deixou Liz chocada, apesar de já ter muitos anos de experiência no resgate de animais maltratados. O suposto cisto não era mais que uma bala que se tinha alojado no cérebro de Eric. Uma série de Raios x revelaram a terrível verdade: os cartuchos das balas continuavam alojados nas camadas profundas da sua pele e podiam trazer-lhe uma infeção perigosa se não recebesse tratamento imediatamente. 

Eric tinha recebido mais de 50 tiros de balas de tinta e a maioria dos cartuchos das balas continuava dentro do seu corpo. Estes tiros foram os causadores da cegueira. Liz imaginava como a sua vida tinha sido assustadora ao vaguear pelas ruas da Turquia. "É um milagre que os tiros não o tenham morto no momento ou que não tenha morrido de septicemia devido às condições tão sujas em que vivia. Partiu-me o coração imaginar tudo o que tinha sofrido, mas podia permitir que me afetasse demasiado, porque tinha de continuar a cuidar dele", explicou Liz.   

E isto é o que Liz fez. Eric já tinha um lar carinhoso e desfrutava de uma verdadeira "vida de cão", mas ainda necessitava de tratamento médico. Então, Liz pôs mãos à obra e começou a recolher donativos através da sua organização, "bedsforbullies", para poder pagar as operações necessárias. A cirurgia para remover todos os cartuchos de bala custaria cerca de 5000 dólares. Uma soma considerável que lhe levou muito tempo a arrecadar. 

Mas graças a alguns doadores generosos, Eric foi submetido à operação que precisava urgentemente. "Vivo para os meus cães e faço tudo o que posso por eles. Para que possa continuar com o meu trabalho, preciso que me ajudem com as vossas contribuições económicas. Todo o dinheiro é usado para eles e eu não recebo nem um cêntimo. Também é possível doar o dinheiro diretamente ao veterinário, para saber em que se gastam as suas contribuições", disse Liz. 

Felizmente, a saúde de Eric já não depende de doações e agora vive feliz com a sua nova dona e os seus outros cães resgatados. Tem uma vida muito tranquila, demonstrando às outras pessoas que o bull terrier pode ser um animal de estimação doce e carinhoso, à semelhança de outras raças caninas. 

Graças a algumas pessoas carinhosas e comprometidas, Eric salvou-se de um destino fatal. Desejamos-lhe uma vida longa e feliz. E à Liz e os outros voluntários, tudo de bom. Continuem a fazer um trabalho tão extraordinário! 

Partilhar no Facebook
1,136 1.1k Partilhas

Fonte: No lo creo · Crédito foto: No lo creo

Goste/partilhe