Notícias : ​Antes de morrer, este jovem publica no Instagram o seu último adeus. O que diz é o mais triste e profundo que alguma vez li

​Antes de morrer, este jovem publica no Instagram o seu último adeus. O que diz é o mais triste e profundo que alguma vez li

Viver com coragem

Partilhar no Facebook
1,300 1.3k Partilhas

Antes de morrer, este jovem publica no Instagram o seu último adeus. O que diz é o mais triste e profundo que alguma vez li 

Pablo Ráez tinha um sonho: aproveitar a vida ao máximo e ser feliz. No dia 26 de março de 2015, quando tinha apenas 18 anos, foi diagnosticado com leucemia. Nesse dia, a vida do atleta de Marbella (Espanha) mudou para sempre... e o mundo mudou com ele. 

Uma vez diagnosticada a doença, começou o inferno: teve que passar por várias quimioterapias e um transplante de medula óssea. O hospital tornou-se quase a sua nova casa, uma triste realidade para um jovem que deveria estar preocupado com os exames do ensino secundário, não por quantos dias lhe restam de vida. 

Então acendeu-se uma luz ao fundo do túnel: depois do transplante, Pablo estava limpo. Havia esperança. Talvez pudesse voltar a recuperar a sua vida, voltar a sonhar num futuro juntamente com a sua namorada, Andrea.  

Mas 10 meses depois, os médicos deram-lhe uma má notícia e essa luz de esperança apagou-se: voltava a ter leucemia, pelo que tinha de repetir todo o processo. O transplante de medula, cujo doador foi o seu próprio pai, não tinha funcionado. 

Desta vez, a realidade era, como se fosse possível, ainda pior: Pablo já não tinha doador. O relógio avançava indiferente enquanto a busca de uma nova medula tinha início. Mas longe de desistir, Pablo decidiu tomar as rédeas da sua vida: começou a publicar as suas reflexões nas redes sociais e colocou-se como objetivo o #retounmillón, um desafio para conseguir um milhão de doadores de medula em Espanha. Com este desafio não só procurava aumentar o número de doadores, mas também consciencializar as pessoas para a importância de doar. "Seria triste morrer porque não há um doador para mim, quando está na mão de todos aumentar essas possibilidades de vida, tanto para mim, como para todas as pessoas que possam precisar de um transplante de medula óssea."  

Mostrando a cada dia a sua luta titânica, mas sempre com o melhor dos seus sorrisos e partilhando reflexões profundas sobre a vida e a morte, Pablo conseguiu logo multiplicar as doações de medula óssea em Espanha em 1000%. Todos estavam atentos às batalhas deste gladiador, como ele mesmo se chamava. Os seus seguidores, que no Instagram são mais de meio milhão, aplaudiam cada passo que dava. 

Foi então que em outubro de 2016, Pablo recebeu uma boa notícia: tinham encontrado outro doador. Voltava a ter esperança e o medo que antes o inundava, começou a desaparecer. "As pessoas perguntam-me de onde retiro a força, de onde tiro a vontade de viver, como sempre tenho um sorriso apesar das dificuldades. Não temo a morte e sou livre, e daí vem toda a minha força. Quando deixas de ter medo és livre", contou numa das suas publicações do Facebook. 

Mas às vezes não se pode lutar contra o destino. O segundo transplante também não funcionou. Paul sabia que estava a morrer, mas apesar de estar a passar por um momento muito duro, não perdeu nem a força nem a coragem. No passado sábado, 25 de fevereiro de 2017, com somente 20 anos de idade, Pablo faleceu. 

Nesta publicação do Instagram pode ler umas das suas últimas reflexões antes de morrer: "Dêmos mais sorrisos, dêmos mais abraços, dêmos mais paz, dêmos a melhor versão de nós mesmos. Dêmos graças pela vida, por nos dar o grande luxo de acordarmos todas as manhãs, sejamos mais agradecidos."  

Não é só a sua família e os seus amigos que estão devastados com a notícia da sua morte. Muitos espanhóis famosos, bem como os meios de comunicação, prestaram-lhe homenagem. A 28 de fevereiro, Pablo ia receber a medalha da cidade de Marbella pelo seu exemplo de superação; uma medalha que agora nunca verá, mas que, no entanto, agora tem mais sentido do que nunca.

No seu último post do Instagram, Pablo disse: "A morte faz parte da vida, então não devemos temê-la, mas amá-la". Andrea, a sua namorada, a que Pablo tinha pedido em casamento há alguns meses, resgatou esta foto que tinham colocado nas redes sociais há alguns meses atrás. Ela esteve em todos os momentos com ele, apoiando-o nos bons e nos maus momentos. 

Pode ser que Pablo tenha passado a uma vida melhor, mas durante os dois anos que lutou incansavelmente contra a sua doença, deixou uma marca nos corações, não somente dos seus amigos e família, mas também do país inteiro. É um exemplo de superação, de valor, de coragem e de bondade. Ele não lutava só por ele: fazia-o por todos os que estavam na sua situação. A partir deste meio queremos enviar as nossas sentidas condolências à família e queremos homenageá-lo. Obrigado, Pablo, por teres sido como eras. Descansa em paz.

Partilhar no Facebook
1,300 1.3k Partilhas

Fonte: No lo creo · Crédito foto: No lo creo

Goste/partilhe