Notícias : ​A jovem de 23 anos publicou fotos chocantes no Facebook. Ninguém imaginava quem estava por detrás de tudo

​A jovem de 23 anos publicou fotos chocantes no Facebook. Ninguém imaginava quem estava por detrás de tudo

Nós acreditamos em ti, Valentina

Publicado por Vamos lá Portugal em Notícias
Partilhar no Facebook
813 813 Partilhas

A jovem de 23 anos publicou fotos chocantes no Facebook. Ninguém imaginava quem estava por detrás de tudo

Ainda existem muitas pessoas no mundo que negam a existência da violência machista, e que não atribuem importância à luta feminista à qual cada vez mais mulheres e homens se juntam. Mas, são testemunhos assustadores como aquele que vos trazemos hoje que mostram o quão necessário é que todos abram os olhos para a questão de uma vez por todas.

Valentina Henríquez é uma jovem chilena de 23 anos, estudante universitária. É uma rapariga como todas as outras, com as mesmas dúvidas e problemas que o resto das raparigas da sua idade têm. Tudo lhe corria bem na vida, ou pelo menos é o que parecia. Mas na verdade, Valentina não estava feliz.  

Valentina tem uma relação com Camilo Castaldi, de 39 anos, o cantor do famoso grupo de funk chileno Los Tetas. Por fora, pode parecer um conto de fadas: ser a noiva de Tea Time (como é conhecido no mundo da música), um artista famoso e admirado em todo o Chile. Mas por dentro, era na verdade um pesadelo.

Há algumas semanas, Valentino deixou de ficar calada. Decidiu parar de sofrer, fazer-se forte e contar a todos o verdadeiro horror em que vivia. Farta, publicou uma extensa carta no Facebook onde contava com todos os detalhes os maus tratos que sofreu às mãos de Castaldi. Hematomas, hemorragias, cortes... tudo documentado com fotos, mostrando desta forma ao mundo o caráter violento do seu parceiro. 

Na carta, Valentina confessou que o seu noivo a agredia várias vezes em ataques de raiva, que chegavam a acontecer 1 ou 2 vezes por semana. Cada vez mais frequente, cada vez mais agressivo. A jovem calava-se, não contava a ninguém o seu sofrimento, pois tinha a esperança de poder ajudar Castaldi com o seu vício das drogas. Valentina aguentou e aguentou, até que finalmente não pôde mais e denunciou-o à polícia.

“Estava ofegante de tão cansada que estava de me ter batido. Fiquei tão cansada da agressão que fiquei sentada na cama sem falar e ele, durante duas horas, continuou a gritar obscenidades. A única coisa que eu queria era dormir” conta ela na carta.   

A polícia não pôde fazer muito por Valentina. Depois da sua denúncia, Castaldi foi processado por lesões menores de violência doméstica, visto não ter antecedentes criminosos. Desta forma, o homem não pode aproximar-se nunca mais da jovem. Mas muitos acham que o castigo não foi suficiente em relação ao horror pela qual Valentina passou.

A carta que Valentina escreveu foi partilhada 202 mil vezes. A sua história circula por toda a Internet, chamando, cada vez mais, a atenção das pessoas. Tanto foi que muitas mulheres saíram às ruas no Chile mostrando apoio à jovem, numa marca com o lema “Nós acreditamos em ti”. 

Castaldi, por sua vez, após todas as acusações feitas devido à publicação da carta da sua ex-namorada, defende-se também nas redes sociais. Na sua versão da história, ele culpa-a: o músico assegura que Valentina sofre de transtornos psicológicos e que ela se auto infligia. Algumas pessoas acreditaram nas palavras de Castaldi e duvidam do que a rapariga disse.

Mas Valentina já não tem medo. Ela decidiu levantar a voz e ouviram-na. Agora está a recuperar das lesões e, pouco a pouco, recupera o sorriso. 

Esta é uma história triste, mas o mais triste é o facto de ser verídica: até agora, foram mortas 38 mulheres no Chile, este ano. As mulheres morrem nas mãos de uma sociedade que duvida delas quando se tentam defender. Há que gritar, gritar para toda a gente o que se está a passar e tem que parar. Nós acreditamos em ti, Valentina, e em todas as mulheres que sofrem o mesmo que tu. 

Abaixo pode ler a carta completa de Valentina:  

 

Partilhar no Facebook
813 813 Partilhas

Fonte: No lo creo · Crédito foto: No lo creo

Goste/partilhe