Famosos : Maria Leal faz revelação polémica

Maria Leal faz revelação polémica

“POSSUÍDA POR DEUS” ??

Publicado por Vamos lá Portugal em Famosos
Partilhar no Facebook
151 151 Partilhas

Em entrevista á Flash vidas Maria Leal falou da relação com os pais, e das criticas que tem sido alvo

Está prestes a iniciar uma tour pela Europa. Esta ansiosa? 
Nem por isso. Ao início estava, mas hoje em dia não tenho receios nenhuns. Cada vez tenho um maior número de pessoas que gostam de mim. Ao início havia uma curiosidade para saber quem é a Maria. Sinto-me mais acarinhada agora do que ao princípio. Há pessoas que fazem excursões para me irem ver.

Alguma vez pensou atingir este sucesso?
De maneira nenhuma. Estaria a ser hipócrita ou a armar-me naquilo que não sou se dissesse que sim. Por vezes choro por ver tantas pessoas do meu lado, a apoiar-me, a dar-me força. São as pessoas que fazem a Maria que eu sou, sempre humilde.

Em que países vai atuar?
Vou ao Luxemburgo, regresso à Suíça e vou também a França. Vou ser ainda rainha do carnaval de Alte, em Loulé. Tenho três datas para a véspera e dia de Carnaval. Depois, volto à Suíça nos dias seguintes. Em abril estou no Canadá. Só em três meses passeio por 100 locais. Na Passagem de Ano estive em cinco sítios diferentes...

Vai lançar mais músicas?
Estou em estúdio. Falta só alterar algumas coisas... Como devem calcular, com a agenda preenchida que tenho, não tenho tido tempo para fazer tudo. Em algumas músicas, falta a voz para depois lançar o CD.

Para quando o lançamento?
Para breve. É segredo. Era para ser em dezembro. Mas foi impossível por causa da agenda.

‘Dialetos de Ternura’ continua a ser a música mais pedida…
Qualquer artista tem uma música que vai ficar para sempre na história. Quando a gente se lança e dá um boom, é aquela música que fica. Fico mesmo satisfeita que gostem de me ouvir e de estar comigo. 

Não tem medo que a fama lhe suba à cabeça?
A mim não me vai subir. Tenho os pés bem assentes na terra. Hoje posso estar em cima, amanhã em baixo. Agora quero cantar. Se não der vou para trás de um balcão. Nada me assusta na minha vida.

Tem noção que tudo isto pode acabar...
Não tenho medo de trabalhar no que for preciso. Desde que seja um trabalho honesto e digno. Foi assim que sempre me educaram. Trabalhar sem nunca pisar os outros. Sou muito ambiciosa na vida. Parada não se consegue nada.

Cantar é um sonho para si?
Já cantava às quintas e sextas em Cascais. Cantava músicas dos outros. Algo meu é um sonho.

Como é que tudo começou?
Foi um amigo que me lançou este desafio da música, o Sérgio Ventura. Ele disse para eu cantar uma coisa minha. Fez a letra e eu gostei. Uma das minhas próximas músicas é para agradecer aos meus fãs que me acompanham. Não está pronta porque faltam ajustes.

Afinal o que é um ‘entroncamento sem fim’?
Cada pessoa pode imaginar um entroncamento sem fim à sua maneira. Eu digo que sou um entroncamento sem fim porque quando menos se espera há uma polémica ou uma brincadeira que eu faça.

É muito assediada pelos homens?
Num dos meus momentos de lazer a jogar bilhar percebi que estava um homem de uma certa idade a olhar para mim, completamente babado. Eu pensei: ‘Tenho de lhe fazer qualquer coisa’. Ele estava a olhar tanto para mim que já nem estava a jogar bem. Uma colega minha finge que me dá um encontrão e eu tinha o dedo sujo de giz e fui à cabeça dele, que era calva, e fiz-lhe uma pinta. O senhor depois foi para casa, deitar-se com uma pinta. Foi uma brincadeira.

Como está o coração da Maria?
Eu estou numa fase da minha vida que para ter relações tem de ser com alguém que eu conheça, ou então não vou arriscar. Porque já arrisquei e correu mal. Porque nesta altura eu não sei se as pessoas gostam da Maria pelo ser humano que é ou se gostam da Maria pela fama. Gostava de estar apaixonada mas não estou à procura.

Acredita no amor?
Acredito no amor que os meus pais sempre me deram... A minha mãe até me dizia que o meu pai me mimava demais. Eu assumo que sou menina do papá, sem sombra de dúvidas.

Como reagem os seus pais a este sucesso?
Desejam-me a maior sorte do mundo mas se lhes perguntarem se era isto que queriam para mim a resposta é: ‘De maneira nenhuma’. Eles até me alertaram que no mundo da música ia haver muita gente a falar mal. Até me perguntaram se eu estava preparada e eu disse que sim.

O que correu mal com o Sérgio Henriques [cantor com quem namorou apenas uma semana]?
Neste momento estudo as pessoas. E faço determinadas perguntas. Precipitei-me por ter assumido uma relação com ele quando o estava a estudar. Achei que ele não se enquadrava comigo e resolvi terminar. Ele quis protagonismo à minha custa.

Acha que ele se aproveitou de si?
Sem sombra de dúvida.

Falou com ele após a rutura?
Ele ligou-me. Infelizmente é só mentiras atrás de mentiras.

Ficou magoada?
As coisas estão nas mãos do meu advogado. Neste momento estou farta que se invente tanta coisa. Sinceramente fiquei surpreendida do que uma pessoa é capaz de fazer para aparecer...

Aceitou as desculpas do Sérgio?
Claro que não. Temos de saber medir as palavras. Não vou perdoar essa pessoa que para cantar na televisão e aparecer teve de falar da Maria. Isso não se faz. É muito feio e imperdoável. Ele nem como amigo serve. 

Ficou surpreendida por ele ter revelado que recorreu à prostituição?
Surpreendeu-me. Antes de ele falar que a Maria é uma fachada devia ter olhado ao espelho e que ver quem é, afinal, uma fachada. É este o recado que lhe dou. Estou farta de coitadinhos na minha vida.

Fale-nos da dança que apresentou na primeira vez que foi à televisão, no programa ‘Você na TV’?
Não sei como dancei daquela maneira. Não consigo fazer. Já tentei a brincar e não consigo. Apareci a fazer figuras. Parece que estava mesmo possuída, só pode. Deus estava do meu lado. Sou muito religiosa.

Tem noção que foi graças à dança que o vídeo se tornou viral…
Sinto que foi Deus que me iluminou e me possuiu. Antes de lançar o ‘Dialetos’ fui a Fátima pedir para me ajudar. Por incrível que pareça, dez dias depois fui chamada para ir à televisão. Eu acredito na Nossa Senhora de Fátima e agradeço-lhe por estar viva e saudável e pelo meu sucesso.

Foi nervosismo…
Claro que foi. Eu sentei-me no colo do Goucha. Eu lá ia sentar-me no colo dele no meu juízo normal. Eu sou muito brincalhona mas aquilo foram os nervos todos. Mas o que é que me deu? Foi logo uma barracada à primeira.

Como reage às críticas?
Eu dou grande valor aos palhaços. É das profissões mais dignas deste País. Quando dizem: ‘Ela é uma palhaça’. Se acham que me estão a pôr em baixo, não estão. Pelo contrário. Só me estão a valorizar. 

Há quem diga que a Maria é a versão feminina do Zé Cabra…
Eu nem liguei a isso. Não sou de falar mal de ninguém. Não falo mal de nenhum artista. O meu caminho é seguir em frente e não olhar para trás. Todas as críticas que sejam construtivas eu agarro-as. As destrutivas e obsoletas passam-me ao lado.

E como se sentiu quando vários artistas a criticaram na internet?
Eu não estou a tirar o lugar a ninguém. O que aconteceu na discoteca Urban, por exemplo, era como se Bon Jovi recusasse cantar com outros artistas mais pequenos e não tão conhecidos. Mas temos pena, porque a Maria continua. A mim ninguém me faz sombra. Continuo a gostar de quem me critica. Simplesmente estou-lhes a fazer sombra.

E a polémica com a Nucha?
São sombras. Simplesmente. A Maria segue o seu caminho sem pisar ninguém. Não vou falar dos meus colegas de trabalho. Eles têm o caminho deles e eu o meu. Sigo-o com dignidade.

Como ficou o negócio das lojas de roupa? 
Estão a ser geridas por outras pessoas. Quando quiser voltar, volto. Eu sou muito ativa na minha vida. Hoje estou em cima e amanhã posso estar em baixo. E vou arregaçar as mangas e as calças. Puxar a saia para cima é que não. 

Como reage quando a acusam de aparecer nos eventos quase despida…
É a Maria. Sou eu própria. Sou daquelas pessoas que me apetece ter barriga à mostra e vou de barriga à mostra. No meu dia a dia ando assim. Visto o que quero e deito-me com quem eu quero. 

Preocupa-se com o seu físico?
Sim. Até vou fazer um tratamento para ficar com uma boca nova. 

Um ex-marido seu, Francisco D’Eça Leal, acusa-a de lhe ter roubado um milhão. É verdade?
É um assunto que está em tribunal. Nunca mais se ouviu falar desse assunto. As pessoas querem-se evidenciar e não sabem como. Há pessoas que gostavam de estar numa determinada fasquia e não estão. 

Todos os vídeos onde a Maria aparece são virais na internet…
Toda eu sou um vírus, realmente. Devia era curar doenças. Até o do Pride, do strip foi polémico. Gostei de ter um strip só para mim. Mas as pessoas deveriam era beber muita água. Limpa tudo. Até as más-línguas. Este strip foi uma surpresa. Não percebo tanta crítica. Eu fui guiada pelo stripper. Não fui atrevida como andaram a dizer.

Partilhar no Facebook
151 151 Partilhas

Fonte: flashvidas.pt
Crédito foto: flashvidas.pt

Goste/partilhe