Famosos : Barbara Guimarães lavada em lágrimas no tribunal, imagina porquê?

Barbara Guimarães lavada em lágrimas no tribunal, imagina porquê?

Bárbara não aguentou a pressão

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

O julgamento de Manuel Maria Carrilho onde é acusado de violência domestica, vai na quinta sessão e Barbara não aguentou a emoção ao falar de todo o sofrimento que passou.

"As notícias foram devastadoras. Eu fiz uma queixa-crime em que relato circunstâncias da nossa vida enquanto casal, de agressões, de nomes que me chamou, em Outubro. Quando começa esta avalanche de notícias, tudo o que ele me fazia em casa e que me dizia estava na praça pública. Há choque maior do que eu pensar: ‘O que vai ser da minha vida e dos meus filhos? Vou ficar sem trabalho!’ [chora compulsivamente] É tão humilhante, é horrível!”.

Após uma pausa, para a apresentadora se recompor, continua a falar e desta fez das entrevistas que o ex-marido dava:

“era exatamente igual a levar uma tareia”: “Deixava-me tão em baixo, tão de rastos. Quando ele começou a atacar a minha família, senti uma grande revolta. Sentia tudo completamente a ruir à minha volta. Até tive sentimentos de culpa, ainda hoje  tenho. Que culpa tem a minha família para ser atacada desta maneira na sua intimidade?

“Foi devastador para mim, ao ponto de entrar numa depressão. Tinha problemas de sono, pesadelos e ataques de ansiedade, transpirava a noite inteira. Era água a correr até no cabelo, que ficava completamente encharcado. Traba¬lhar nestas condições começou a ser complicado. Havia notícias que me punham muito em baixo. Tinha uma vergonha enorme, era uma humilhação. Foi um período de grande infer¬no, uma espécie de avalanche destruidora. Tenho muito menos trabalho do que o que tinha efetivamente, e nenhum contrato publicitário”,

“Não sei onde vou buscar forças!”, assumiu. “Perdi imenso peso, emagreci imenso. Não tinha apetite, tinha ataques de choro com frequência, mas não à frente dos meus filhos. Isto veio abalar o meu trabalho. Houve um período em que me custava sair à rua. Sentia as pessoas a falarem do assunto”,“Contratei os seguranças para me proteger. Se ele se cruzasse no meu caminho, tenho a certeza de que me ia agredir. Ainda tenho hoje”.

Barbara confessa ainda que partir de Janeiro de 2014, depois das férias de Natal com o pai, os filhos, Dinis, de 11 anos, e Carlota, de 5, mudaram de postura com ela. “Quando era mais contrariado, o Dinis dizia: ‘Tu és a culpada de tudo! Tu destruíste a família, roubaste-lhe coisas…’ Mais tarde, come¬çou a dizer: ‘Tu és mesmo uma bêbeda!’ Começou a ter uma linguagem que não era dele. Vinha com histórias que depois o pai também dizia nas revistas. A Carlota chamava-me má, estúpida, burra.”

Partilhar no Facebook
0 0 Partilhas

Fonte: www.lux.pt · Crédito foto: www.noticiasaominuto.com

Goste/partilhe