Famosos : Atores denunciam: Ordenados não são pagos!

Atores denunciam: Ordenados não são pagos!

Atores revoltados denunciam situação

Partilhar no Facebook
23 23 Partilhas

Os protagonistas da serie Ministério do Tempo estão descontentes com a falta de pagamento dos vencimentos. Após algumas falhas denunciaram o caso nas redes sociais:

Leia aqui o comunicado na íntegra: 

Quando, em Maio de 2016, iniciámos a rodagem de O Ministério do Tempo, todos nós o fizemos com a vontade e o profissionalismo que um novo projecto sempre nos merece. Mas muito rapidamente se acrescentou a essa vontade e a esse profissionalismo uma entusiástica alegria que nos tem mantido unidos até agora; não estávamos apenas perante um novo projecto; estávamos convictos que este poderia tornar-se um caso muito sério na história da ficção Nacional: um olhar atento sobre a nossa história colectiva, valorizando o saber e a memória, mas não descurando os aspectos lúdicos, permitindo sentar diante do televisor várias gerações da mesma família, a todos chegando de modo diverso e complementar. E desse modo o entendeu também a Direcção da RTP que lançou o Ministério como 'a melhor série de todos os tempos'.

Depois de uma primeira temporada com alguns percalços, oriundos de problemas vários - a cargo da Iniziomédia, a RTP decidiu entregar a produção a uma nova empresa - a JustUp/Mauricio Valente Ribeiro e Luis Valente -. Assume a direcção artística o realizador Manuel Pureza e o elenco renova a confiança no projecto, pois o caminho apontado vai no sentido de um investimento muito directo no trabalho dos actores, no fortalecimento das relações entre as personagens e numa mais eficaz abordagem técnica às cenas. Apesar da aparente normalidade, o que sucede no final do mês deixa-nos a todos atônitos: os ordenados não são pagos! Toda a equipa decide parar até o problema estar resolvido; garantem-nos que no prazo de dois/três dias tudo se normalizará; mas só no final de três semanas são finalmente pagos os ordenados e são dadas garantias verbais de que o problema está totalmente resolvido. Por alegada quebra de confiança com a direcção de produção o realizador afasta-se do projecto, levando com ele parte da equipa. É convidado Miguel Guerreiro para assegurar a continuidade das gravações e, perante as garantias que nos são dadas, voltámos mais uma vez ao trabalho, animados pela nossa dedicação ao Ministério. A nova equipa técnica inicia as gravações com o mesmo espírito e seguimos trabalhando arduamente. Mas e mais uma vez, os ordenados não são pagos no final do mês [Maio]. 

Voltámos a parar e, ao fim de um mês, a situação não está sequer em vias de resolução. Dispensamo-nos de tecer comentários sobre o carácter de cada um dos sócios da JustUp e de eventuais desentendimentos internos na produtora ; mas gostaríamos de deixar um forte alerta a todos os companheiros de profissão sobre o risco que corremos ao aceitar convites para trabalhar com algumas produtoras que, infelizmente não merecem a dedicação dos profissionais que tudo fazem a bem do seu trabalho e, deixar um apelo à direcção da RTP para que não nos deixe à mercê daqueles que, a coberto de uma maior oferta no mercado audiovisual, se apresentam a concurso sem as condições mínimas para exercerem dignamente esta actividade. Só assim criaremos garantias de um resultado que exprima as nossas capacidades técnicas e artísticas e contribua para uma efectiva valorização da ficção Nacional.Em nome de todos os profissionais lesados:

O elenco do Ministério do Tempo:

António CapeloLuis Vicente
João CraveiroAndreia Dinis
Mariana MonteiroJoão Vicente 
Samanta CastilhoCarla Andrino 
Ângelo Rodrigues” 

Partilhar no Facebook
23 23 Partilhas

Fonte: www.vip.pt · Crédito foto: www.maria.pt

Goste/partilhe